Amamentação ajuda a prevenir hemorragia e partos normais tem menos chance de infecção, diz médica

 

Por mais que muitas pessoas ainda vejam a amamentação e o parto normal como retrógrados, a ciência e as experiências de vida provam o contrário. Além das vantagens nutricionais, eles trazem diversos efeitos psicológicos, fisiológicos e sociais, tanto para a mãe, quanto para o bebê.
 
Estes benefícios estão, por exemplo, na resistência imunológica e desenvolvimento intelectual dos filhos que, segundo pesquisas desenvolvidas pelo Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP/USP), são melhores quando a amamentação segue até os dois anos de vida.
 
“Essa relação já se inicia na concepção, é desenvolvida durante a gestação e fortalecida durante a amamentação. Diante dessa perspectiva, um processo de parto adequado, que aplica a melhor forma de parto para cada caso em específico, já é um grande passo para que o vínculo entre a parturiente e o recém-nascido seja fortalecido”, destaca Fernannda Pigatto, médica diretora-técnica da Femina Hospital Infantil e Maternidade.
 
Ela explica, ainda, que o parto adequado e a correta amamentação humanizam o vínculo existente entre a mãe e o bebê. Por isso, até os seis meses de vida as crianças devem ser alimentadas exclusivamente de leite materno. Isso já é uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), além de estar na literatura médica.
 
“Além de suprir as necessidades nutricionais, o ato de amamentar estimula o desenvolvimento da criança, seja nos movimentos faciais ou no correto equilíbrio térmico que acontece durante o contato pele a pele com a mãe. Estas características também proporcionam uma condição psicológica positiva para o desenvolvimento infantil”, explica Fernannda.
 
De acordo com a assessoria do Femina, em casos de parto normal são reduzidos, ainda, as chances de infecção, quando comparado com o parto cesariano, já que o período de recuperação é menor. E quando os bebês amamentam, o corpo da mão libera ocitocina, o que inibe a hemorragia pós-parto.
 
A Femina possui completo serviço pré-natal e de maternidade, conta com uma estrutura moderna e equipe especializada disponível 24h para realização do parto adequado. Além disso, o hospital disponibiliza sala de coleta de leite materno, especialmente equipada para receber mães que precisam coletar leite para os filhos internados.